Novela “Verão 90”: Manuzita (Isabelle Drummond) está decidida a encontrar provas que incriminem Jerônimo (Jesuita Barbosa) no caso do Crime da Joatinga. Ela entra no apartamento do pilantra, faz um jogo de sedução fake e quase se dá mal – afinal de contas, ela não tem muito talento para atriz, não é mesmo? Sem saber o que fazer para se livrar das investidas de “Rojê”, João (Rafael Vitti) finalmente aparece para salvá-la!

João criou o personagem “Maradona”, um hippie vendedor de miçangas, para poder acompanhar a apresentação de Manuzita no festival Pop TV na praia. Na cena, Jofre (Luiz Henrique Nogueira) está preocupado e conta para João que Manu foi até ao apartamento de Jerônimo para encontrar provas contra o pilantra.

“Ele convidou a Manu pra jantar. Ela foi tentar descobrir alguma pista das maracutaias dele! A Manu decidiu encarnar a espiã. Disse que ia enganar seu irmão com o talento dela de atriz”, diz Jofre. “O talento dela de atriz?!”, João exclama, totalmente incrédulo! Preocupado com seu grande amor, João se veste de Maradona, pega uma Kombi com alto-falante e se posiciona em frente ao apartamento de Jerônimo. “Manuziiita, Mi amore! No fiques aí, Manuziiiita”, diz “Maradona”. “Quem é esse Maradona, Manu?!”, Jerônimo questiona. “É um fã argentino, vendedor de bijuteria, que vive atrás de mim. Como será que ele me achou aqui?”, Manuzita se toca.

Depois de enrolar Jerônimo, Manu consegue sair do apartamento e se encontra com “Maradona”. Ela conta que conseguiu pegar algumas coisas no apê do pilantra, que podem ser provas: “João, peguei várias coisas no apê dele! Olha isso aqui! A fita da secretária eletrônica da casa do Jerônimo!” “Sua doida…”, João amolece o coração. “Doida por você… Maradona…”, ela se declara.

Resumo “Verão 90”: próximos capítulos da novela

Sinopse “Verão 90”: O Rio de Janeiro da década de 1990, a cultura efervescente da época, os acontecimentos sociais e políticos, a música e a moda estão presentes em ‘Verão 90’, uma comédia romântica, solar e musical, escrita por Izabel de Oliveira e Paula Amaral, com direção artística de Jorge Fernando.