Novela “Belíssima”: No último capítulo da história, todas as peças do quebra-cabeça se encaixam. Bia planeja fugir do Brasil. Antes de partir, no entanto, mata Medeiros e Yvete, seus cúmplices em todas as suas tramoias e armações. Em seguida, ela vai para sua casa de veraneio em Campos do Jordão, cidade de São Paulo. Gilberto e sua equipe de policiais conseguem cercá-la. Mesmo rendida, a vilã não perde a pose e, irônica e com classe, recebe os policias para uma conversa. Gilberto conta à vilã que foi descoberta a identidade de sua filha com Murat. Vitória está presente, e faz a revelação: ela própria é a filha abandonada ainda bebê. Friamente, Bia diz a Vitória que, assim como não a quis quando ela nasceu, também não a quer agora. Vitória enfrenta Bia e diz que a venceu, escapando de todas as armadilhas que ela lhe preparou.

Cínica e muito esperta, Bia finge passar mal, entra no banheiro da casa e foge em seu jatinho particular, para desespero de Gilberto. A vilã termina a novela ilesa, num sofisticado apartamento em Paris, ao lado do jovem e belo Mateus (Cauã Reymond), filho de Cemil, que optou por viver como garoto de programa.

Apesar de ter sido rejeitada pela mãe, Vitória é recebida com muita alegria e emoção por Murat e toda sua família. Assim como Júlia, ela recupera seu patrimônio; e termina a história feliz, ao lado da filha, do irmão e do novo amor, Gilberto.

Até os capítulos finais da novela, Júlia fica dividida entre o amor de André e Nikos. Após muitas dúvidas, ela percebe que Nikos é o homem de sua vida, aquele que lhe deu apoio no momento em que mais precisou e que a ama verdadeiramente. Nikos, no entanto, já havia desistido de Júlia e voltado para sua terra, a Grécia, da qual sentia muita falta. Ela vai ao encontro do grego, declara seu amor, e os dois se casam, numa bela e comovente cena. Cena prevista para janeiro na Novela “Belíssima”.

Novela “Belíssima”: resumo dos próximos capítulos

Simpática, bem-sucedida e discreta, Júlia Assumpção é presidente da Belíssima, referência mundial no setor de roupas íntimas. Sua avó, Bia Falcão, a pressiona para se tornar parecida com a mãe, Stella Assumpção – que foi uma modelo bastante famosa, mito de beleza na década de 1960. Fundadora da marca Belíssima, Stella morreu em um acidente de avião junto com seu marido, deixando órfãos Júlia e Pedro. Desde então, Bia Falcão se tornou responsável pelos dois, tendo-os criado. Até hoje tenta controlar a vida deles. Em casa, Júlia só encontra apoio no tio, Argemiro Falcão, vulgo Gigi, e na governanta, Matilde. Bia faz de tudo para Júlia se sentir culpada pela morte dos pais.

A vilã fará de tudo para acabar com os romances de Pedro com Vitória, uma ex- menina de rua que ele escolheu para ser sua esposa, com quem tem uma filha, e Vitória será perseguida pela vilã durante toda a trama, porém, sem perder a fibra e a coragem; e de Júlia com André Santana. Este, apesar de não parecer inicialmente, é um grande e terrível vilão, diabólico e ambicioso, que almeja ser dono da Belíssima em conjunto com seu pai, Aquilino Santana, o seu Quiqui, que aparenta ser um bom velhinho, mas é, na verdade, um bandido da pior espécie, ex-matador de aluguel. André vai se envolver com Júlia e com a filha de Júlia, Érica, uma mulher fútil e perversa como a bisavó Bia Falcão. Érica é aspirante a modelo.