Novela “Éramos Seis”: O temperamento difícil de Emília (Susana Vieira) em Éramos Seis parece ser fruto de algum trauma do passado. A tia de Lola (Gloria Pires) sempre preferiu manter uma postura discreta, reservada, um tanto isolada do mundo. Em sua mansão, fez questão de esconder sua filha mais velha, Justina (Julia Stockler), durante muitos anos – a menina tem um distúrbio mental não diagnosticado na época. Por outro lado, mandou a caçula, Adelaide (Joana de Verona) ir estudar na Europa, fazendo as duas filhas crescerem separadas uma da outra.

Publicidade

Na novela das 6, Justina tem tido cada vez mais pesadelos que parecem revelar memórias do passado. E, agora, parece que Emília passará pela mesma experiência. Enquanto ela toma um chá, começa a ter umas lembranças que imediatamente lhe deixam aterrorizada.

A tia de Lola começa a sentir a presença de vultos, vozes, barulhos de portas batendo, passos de um homem. Ela parece começar a se lembrar de um momento de pânico vivido no passado. Uma mulher aparece nessas memórias, parecendo estar desesperada, correndo, amedrontada com a presença do homem. De repente, a mulher grita: “Não!!!” Aterrorizada, Emília deixa a xícara cair no chão e fica perturbada com as lembranças que acaba de ter.

Resumo “Éramos Seis”: próximos capítulos da novela

“Éramos Seis”: Casada com Júlio (Antonio Calloni), Lola (Gloria Pires) é uma esposa devotada e mãe de quatro filhos: Carlos (Xande Valois/ Danilo Mesquita), o mais velho e motivo de orgulho para os pais; Alfredo (Pedro Sol/ Nicolas Prattes), rebelde que vive se metendo em confusões e tem ciúmes do irmão; Isabel (Maju Lima/ Giullia Buscacio), determinada e independente, é a favorita do pai – por ser a única filha mulher; e Julinho (Davi de Oliveira/ André Luiz Frambach), o caçula da família – que desde criança demonstra habilidade para lidar com dinheiro.

A história começa com Lola e Júlio passando sufoco para poder pagar as parcelas do casarão que compraram em São Paulo. O primeiro bem do casal sai mais caro do que eles previam por causa dos altíssimos juros do financiamento bancário. O imóvel acaba gerando um impasse entre eles: para ela, o local é a alma da família. Para ele, um empecilho para melhorar de vida.

Publicidade