Novela “Éramos Seis”: Julinho (André Luiz Frambach) se muda para o Rio de Janeiro e Clotilde (Simone Spoladore) volta a Itapetininga. Carlos (Danilo Mesquita) é atingido por uma bala durante uma manifestação. Ele pede que Alfredo (Nicolas Prattes) nunca abandone Lola (Gloria Pires) e morre.

Publicidade

Lola ouve no rádio sobre outra manifestação no centro da cidade e sente alívio ao ver que Alfredo retornou do trabalho: “Meu filho, que bom que chegou. Estão falando em armas, guerra. Ninguém deve sair de casa”. Alfredo conta uma novidade: “Eu vou lutar contra os que apoiam Getúlio. Contra os que mataram meu irmão. Eu vou lutar nesta revolução … Não adianta falar, nem tentar me fazer mudar de ideia. Não vai conseguir. Eu não sou o Carlos. Errado ou muito errado eu estou aqui. Não me diga o que fazer”.

Lola lamenta: “Por que fala do seu irmão, por que faz assim comigo? Eu nunca quis que fosse igual ao Carlos. Eu sempre tentei compreender você, mesmo quando estava errado, tentava te apoiar. Você pode morrer. Eu não vou aguentar, te peço… Não vá, nada vale uma guerra. Pense bem e não apareça mais neste Exército”.

Alfredo diz: “A última coisa que eu gostaria é te fazer sofrer, dona Lola. Mas prometo me cuidar, eu prometo que vou voltar inteiro. Não quebro essa promessa”. Lola se apavora com a decisão do filho. Cena prevista para dia 13 de janeiro na novela “Éramos Seis”.

Resumo “Éramos Seis”: próximos capítulos da novela

“Éramos Seis”: Casada com Júlio (Antonio Calloni), Lola (Gloria Pires) é uma esposa devotada e mãe de quatro filhos: Carlos (Xande Valois/ Danilo Mesquita), o mais velho e motivo de orgulho para os pais; Alfredo (Pedro Sol/ Nicolas Prattes), rebelde que vive se metendo em confusões e tem ciúmes do irmão; Isabel (Maju Lima/ Giullia Buscacio), determinada e independente, é a favorita do pai – por ser a única filha mulher; e Julinho (Davi de Oliveira/ André Luiz Frambach), o caçula da família – que desde criança demonstra habilidade para lidar com dinheiro.

A história começa com Lola e Júlio passando sufoco para poder pagar as parcelas do casarão que compraram em São Paulo. O primeiro bem do casal sai mais caro do que eles previam por causa dos altíssimos juros do financiamento bancário. O imóvel acaba gerando um impasse entre eles: para ela, o local é a alma da família. Para ele, um empecilho para melhorar de vida.

Publicidade