Novela “Belíssima”: o carro de Bia (Fernanda Montenegro) explode e a polícia informa que a vilã morreu. Depois de meses, Bia volta para sua casa como se nada tivesse acontecido. Irônica como sempre, diz a todos que estava passando uma temporada de férias em sua casa em Campos do Jordão. Bia chega em casa, que agora pertence a André (Marcello Antony), e pergunta por Júlia (Glória Pires) à governanta Matilde (Ivone Hoffmann). Perplexa, Matilde quase desmaia, e Bia reclama da inatividade da governanta: “Que foi, Matilde? Parece que tá vendo um fantasma!”, diz Bia, com seu jeito arrogante habitual. A governanta a deixa entrar e logo depois liga para Júlia.

A empresária, acompanhada de Gigi, corre para a mansão. Os dois mal podem acreditar no que vêem e enchem a matriarca de perguntas. Bia explica, muito naturalmente, que resolveu sumir enquanto estava na estrada tentando buscar Sabina, que ia para Itanhaém com Vitória, Tadeu e Pascoal. Mas no meio do caminho se sentiu deprimida por estar correndo atrás da bisneta, enquanto a mãe fugia da polícia. Então, pegou o primeiro retorno que viu e foi para uma fazenda em Santa Cruz.

Em meio ao estarrecimento geral, André aparece. Ele se mostra absolutamente chocado com a presença de Bia. A vilã, por sua vez, demonstra espanto quando a neta conta que viu o carro da Belíssima rolar no precipício e que ela foi dada como morta. Júlia decide então chamar a polícia para investigar o que, afinal de contas, está acontecendo.

Enquanto isso, Bia sobe para tomar um banho, como se a mansão ainda pertencesse a ela. Ao se ver sozinha, respira aliviada, e diz para si mesma que tudo vai dar certo.

Fique por dentro – Novela “Belíssima”: Bia usou Valdete para forjar a própria morte

Novela “Belíssima”: resumo dos próximos capítulos

(*) edição da Rede Globo, Novela “Belíssima”, sujeito a alteração de data e conteúdo.

Simpática, bem-sucedida e discreta, Júlia Assumpção é presidente da Belíssima, referência mundial no setor de roupas íntimas. Sua avó, Bia Falcão, a pressiona para se tornar parecida com a mãe, Stella Assumpção – que foi uma modelo bastante famosa, mito de beleza na década de 1960. Fundadora da marca Belíssima, Stella morreu em um acidente de avião junto com seu marido, deixando órfãos Júlia e Pedro. Desde então, Bia Falcão se tornou responsável pelos dois, tendo-os criado. Até hoje tenta controlar a vida deles. Em casa, Júlia só encontra apoio no tio, Argemiro Falcão, vulgo Gigi, e na governanta, Matilde. Bia faz de tudo para Júlia se sentir culpada pela morte dos pais.

A vilã fará de tudo para acabar com os romances de Pedro com Vitória, uma ex- menina de rua que ele escolheu para ser sua esposa, com quem tem uma filha, e Vitória será perseguida pela vilã durante toda a trama, porém, sem perder a fibra e a coragem; e de Júlia com André Santana. Este, apesar de não parecer inicialmente, é um grande e terrível vilão, diabólico e ambicioso, que almeja ser dono da Belíssima em conjunto com seu pai, Aquilino Santana, o seu Quiqui, que aparenta ser um bom velhinho, mas é, na verdade, um bandido da pior espécie, ex-matador de aluguel. André vai se envolver com Júlia e com a filha de Júlia, Érica, uma mulher fútil e perversa como a bisavó Bia Falcão. Érica é aspirante a modelo.