19.4 C
São Paulo
sexta-feira, maio 24, 2024
publicidade

Sam Alves vence o The Voice Brasil 2013

the-voice-brasil-globo‘The Voice Brasil– Sam Alves vence o The Voice Brasil 2013. A segunda temporada do The Voice Brasil chega ao fim e Sam Alves é o grande vencedor do programa com 43% dos votos do público. Na noite desta quinta-feira, 26, Sam Alves venceu Pedro Lima, Rubens Daniel e Lucy Alves. O participante ganhou o prêmio de R$ 500 mil, gerenciamento de carreira e um contrato com a Universal Music. Ele interpretou Hallelujah, primeiramente em português e depois em inglês. Sam também dividiu o palco com Claudia Leitte. O participante e sua técnica cantaram “A Camisa e o Botão”.

O reality show americano The Voice que estreou em 26 de abril de 2011 na rede de televisão NBC. Baseado na competição de canto The Voice of Holland, a série foi criada pelo produtor de televisão holandês John de Mol. Faz parte da comunidade internacional “The Voice” séries. Imediatamente provou ser um sucesso da NBC e em meados de Maio de 2011, foi confirmado que a rede tinha renovado o show para uma segunda temporada. Em 2011 a Rede Globo no Brasil comprou os diretos de exibição da Endemol. A versão brasileira do formato original holandês conta com apresentação de Tiago Leifert. Carlinhos Brown, Claudia Leitte, Daniel e Lulu Santos são os técnicos e jurados.

Continua após o anúncio

Resultado das fases

Semi-final 19/12: Pedro Lima, Lucy Alves, Rubens Daniel e Sam Alves avançam para a Final. Luana Camarah, Marcos Lessa, Cecília Militão e Gabby Moura deixam a competição.

Resultado do show ao vivo, The Voice Brasil 2013, em 12/12: Sam Alves, Pedro Lima, Lucy Alves e Rubens Daniel foram escolhidos pelo público. Claudia Leitte salvou Gabby Moura. Lulu Santos salvou Luana Camarah. Brown salvou Marcos Lessa. Daniel salvou Cecília Militão. Khrystal, Rully Anne, Dom Paulinho Lima, Rodrigo Castellani e Marcela Bueno não passaram de fase.

Continua após o anúncio

Resultado da terceira fase do The Voice Brasil 2013: Tira-Teima em 05/12. Time do Lulu Santos: Dom Paulinho Lima foi salvo pelo técnico. A dupla André e Kadu e Amanda Amado não passaram de fase.

Time do Carlinhos Brown: Lucy Alves e Marcos Lessa foram salvos pelo técnico. A dupla Angelo e Ângel, Heverton Castro, Bruna Barreto e Rafael Furtado não passaram de fase.

Time da Claudia Leitte: Gabby Moura foi salva pela técnica. Jullie e Débora Cidrack não passaram de fase.

Continua após o anúncio

Time do Daniel: Marcela Bueno e Rubens Daniel foram salvos pelo técnico. Alessandra Crispin, Anne Marie, Herli Dias e Gustavo Trebien não passaram de fase.

—-

Resultado da terceira fase do The Voice Brasil 2013: Tira-Teima em 28/11.

Time do Lulu Santos: Luana Camarah e Pedro Lima foram salvos pelo técnico. Rully Anne foi para o time Claudia Leitte. Luciana Balby, Nando Motta e Carina Mennitto não passaram de fase.

Time do Carlinhos Brown: Rodrigo Castellani foi salvo pelo técnico. Raíza Rae e Nene Oliveira não passaram de fase.

Time da Claudia Leitte: Sam Alves e Khrystal foram salvos pela técnica. Bruna Góes, Júlia Tazzi, Guto Santanna e Maylssonn não passaram de fase.

Time do Daniel: Cecília Militão foi salva pelo técnico. Samya Nalany e Ana Lonardi não passaram de fase.

Na segunda fase do The Voice Brasil 2013, as batalhas são marcadas pela qualidade das apresentações e cooperação entre técnicos e assistentes: Lulu Santos e Gaby Amarantos; Daniel e Luiza Possi; Claudia Leitte e Maria Gadú; e Carlinhos Brown e Rogério Flausino.

Duelos 21/11

Nando Motta vence e Rafael Furtado muda para o time do Carlinhos Brown;
Rubens Daniel vence Swellen Pimentel;
Angelo e Ângel vencem e Herli Dias muda para o time do Daniel;
Nene Oliveira vence Elias Moreira;
Rully Anne vence e Júlia Tazzi muda para o time da Claudia;
Maylssonn vence Xandy Monteiro;
Débora Cidrack vence Janaina Cruz;
Alessandra Crispin vence Kaio Deodato.

Duelos 14/11

Cecília Militão vence Vivian Lemos;
Luana Camarah vence e Bruna Barreto muda para o time do Carlinhos Brown;
Gustavo vence e a dupla André e Kadu muda para o time do Lulu;
Gabby Moura vence e Amanda Amado muda para o time do Lulu;
Pedro Lima vence e Guto Santanna muda para o time da Claudia;
Raíza Rae vence Simona Talma;
Jullie vence e Carina Mennitto muda para o time do Lulu;
Heverton Castro vence e Samya Nalany muda para o time do Daniel.

Duelos 07/11

Dom Paulinho vence e Rodrigo muda para o time do Carlinhos Brown;
Anne Marie vence Gabriella Matos;
Sam Alves vence e Marcela Bueno muda para o time do Daniel;
Lucy Alves vence e Khrystal muda para o time da Claudia;
Bruna Góes vence Maysa Ohashi;
Marcos Lessa vence Aila Menezes;
Luciana Balby vence Bruna Borges;
Ana Lonardi vence Luiza Lara.

Primeira fase do The Voice Brasil 2013 – formação das equipes

O time Carlinhos Brown

Aila Menezes – formada em balé clássico e fã de Alcione, seu primeiro contato com a música aconteceu quando tinha 7 anos. Aos 17, aperfeiçoou a técnica vocal e começou a cantar profissionalmente em um grupo que misturava axé e músicas internacionais. É colecionadora de leques, cílios postiços e neta de Pinduca, um dos palhaços mais antigos do Brasil.

Angelo e Angel – 38 e 37 anos, são irmãos inseparáveis. Natural de Belo Horizonte, a dupla sempre carrega um terço para ajudar na oração momentos antes de subirem no palco, uma rotina que eles mantêm há 15 anos. Quando não soltam a voz ao som do violão ou de uma viola caipira é porque estão na labuta. A dupla trabalha, respectivamente, como pedreiro e poceiro. Se o palco é o lugar preferido dos dois, em segundo lugar vem a academia – eles adoram malhar juntos.

Herli Dias – nasceu no interior do Piauí e hoje faz sua carreira como músico em Goiás. Mas é aqui no Rio de Janeiro que ele sonha em se apresentar em uma casa de show. Aos 26 anos, ele segue no ritmo sertanejo porque é do interior, mas não resiste em soltar a voz nas canções de MPB e arrisca até um pagodinho. Há 11 anos, com o violão na mão, ele se apaixonou pela música e escolheu um ídolo brasileiro: Alexandre Pires.

Lucy Alves – aos três anos, começou a se interessar por música e foi estudar em um curso de extensão na UFPB. Ainda na infância, fez parte de uma orquestra formada por crianças. Luiz Gonzaga, Dominguinhos, Gilberto Gil, Alceu Valença e Carlinhos Brown são os ídolos dessa paraibana graduada em Música. Multi-instrumentista, Lucy toca bandolim, acordeão, cavaquinho, baixo e violino. A frase preferida de uma música: ” Nunca se entregue, nasça sempre com as manhãs”.

Marcos Lessa – canta profissionalmente há cinco anos, mas ainda assim faz questão de se formar na área. Aos 22 anos, ele estuda música na Universidade Federal do Ceará e segue carreira solo. Além de soltar a voz, o jovem natural de Fortaleza (CE) também compõe e, para isso, recorre ao teclado e ao violão. Marcos tem o sonho de se apresentar no palco de Copacabana, Rio de Janeiro, na virada do ano. Na casa dele, até a cachorrinha Sofia curte música. O cantor conta que quando o pai dele toca flauta, a bichinha fica uivando sem parar.

Raíza Rae – 23 anos, nasceu em Campinas, mas cresceu no Rio de Janeiro e se diz carioca desde sempre. Canta desde os 9 anos e já trabalhou com grandes nomes da música como Oswaldo Montenegro, Paulo Sérgio Valle e Eduardo Souto Neto. Na adolescência chegou a se questionar, mas nas tentativas para se encontrar, descobriu que não consegue viver sem a música. Sempre compondo e cantando, Raíza é dona de um ouvido apurado, consegue ouvir a distância e não controla a mania de reproduzir sons de instrumentos quando escuta música. Entre uma balada e um blues, e uma pitada de rock ‘n’ roll, a “carioca” é pura metamorfose.

Simona Talma – aos 33 anos, faz parte de uma banda de rock com repertório que inclui músicas próprias. Nascida em Natal, no Rio Grande do Norte, Simona gosta de ficar sozinha para se concentrar antes dos shows. Ela costuma se descrever em uma palavra: determinação. É através dessa característica que ela pretende realizar um sonho: se apresentar no Rock in Rio.

Heverton Castro – tinha 15 anos quando escreveu sua primeira canção. Antes de se dedicar de vez à música, foi professor de lambaeróbica e street dance. O cantor tem como amuleto um cordão com a foto do filho, Eduardo, e sempre se apresenta com o acessório. Os maiores ídolos de Heverton são Jorge Ben Jor, James Brown, Wilson Simonal e Marvin Gaye. O artista é tão fã de Marvin que queria batizar o filho com o nome do “Rei da música soul”, mas não conseguiu convencer a mãe do menino. Para aproveitar o tempo livre fora dos palcos, Heverton Castro gosta de assistir filmes antigos e curtir a família.

Samya Nalany – de 24 anos, cantou pela primeira vez aos 12 anos em um shopping de Campinas e desde então não parou mais de cantar. A paulista, que nunca fez qualquer curso teórico de canto, orgulha-se de tudo que sente de ouvido e do aprendizado que recebeu da família. Quando criança, costumava cantar com o pai, com quem aprendeu muita música e uma outra paixão: capoeira. “MPBlues” é como define o seu estilo, que tem desde Elis Regina a Ray Charles como referências.

Khrystal – nordestina arretada! Ela canta, cuida dos filhos e adicionou recentemente no currículo outra atividade artística: atuar. Mas tudo, claro, ligado à música. Por causa de uma participação em um programa musical, conheceu Alceu Valença e foi convidada pelo cantor e compositor a fazer um filme sobre ele. O artista, assim como Elis Regina, está na lista dos ídolos de Khrystal. Aos 32 anos, ela sonha em se apresentar nas grandes casas de música do Rio de Janeiro.

Elias Moreira – dono de um vozeirão que chama a atenção. O roraimense, de 27 anos, estudou música quando criança, mas logo seguiu o aprendizado sozinho. Aos 19 anos já morava na Suíça, onde ficou por cinco anos cantando pela Europa. Na Alemanha, gravou uma participação em um CD do Coral de Jazz de Freiburg. O cantor, que diz ter realizado o grande sonho ao subir no palco do The Voice Brasil, se descreve com as palavras de Gonzaguinha: “Cantar e cantar e cantar a beleza de ser um eterno aprendiz”.

Nene Oliveira – natural de Nova Iguaçu, no Rio de Janeiro, a cantora estuda Engenharia Civil e trabalha como concierge em um condomínio. É fã de Beyoncé, Adele e Alicia Keys. Nene começou a se interessar pela música ainda na infância, porque vem de uma família de músicos. O maior foco de Nene Oliveira é alcançar o sucesso de grandes artistas.

O time Claudia Leitte

Bruna Góes – a ‘manezinha da ilha’, apelido de quem nasce em Florianópolis (SC), canta desde pequena, mas foi aos 17 anos, que Bruna desistiu da faculdade de publicidade e decidiu se dedicar integralmente à música. Ela canta Soul, Jazz, MPB e Blues e seu maior ídolo é Amy Winehouse. Um de seus sonhos acaba de ser realizado: cantar no palco do The Voice Brasil. O outro é se apresentar com suas próprias composições. “Meu trabalho é cantar. Meu hobby é cantar. A música é minha vida”, ressalta Bruna.

Débora Cidrack – tem 30 anos e trabalha como cantora desde os 15, quando decidiu gravar uma música para seu baile de debutante e descobriu o seu talento. Ela nasceu em Fortaleza e trabalha em São Paulo em uma banda de eventos. Débora também compõe e tem um projeto autoral de música eletrônica. “É um pop eletrônico estilo David Guetta”, explica. A cantora cuida pessoalmente do visual e produz o próprio make e as unhas. “Em tempos de conteúdo audiovisual, cuidar da imagem é muito importante!”, acredita.

Gabby Moura – carioca da gema. Nascida em Olaria, na Zona Norte do Rio, desde pequena gosta de cantar e de que a ouçam cantar. Quando criança, ai de quem conversava enquanto a pequena Gabby cantarolava. Ela logo emburrava a cara e falava, ou melhor, miava: “Não quero mais cantar”. Esse ‘não quero’ durou pouco e ela passou as últimas duas décadas encantando o público com sua voz. É fã de carteirinha da Alcione.

Janaina Cruz – a catarinense Janaina Cruz tem 24 anos e trabalha com música há 14. Ela começou a cantar na igreja aos 6 anos e aos 10 já se apresentava profissionalmente. “Ainda sinto muita emoção e frio na barriga quando me apresento. Acho que não podemos perder isso”, avalia. Fã de música romântica e internacional, Janaína tem como referências Whitney Houston, Celine Dion e Laura Pausini.

Jullie – cantora, compositora e atriz, a capixaba Jullie, de 25 anos, adora cozinhar nas horas livres para a alegria dos amigos. É apaixonada por comida mexicana e famosa por fazer o tradicional guacamole. “Feliz”, como ela mesma se define, Jullie sempre quis ser cantora e está acostumada aos palcos desde os 4 anos, quando começou a cantar em concursos de talentos mirins. Já teve cachorro, coelho e gata, mas a vida corrida roubou a cena e o espaço para animais de estimação. Também é atriz, dubladora e compõe suas próprias músicas. Tudo o que faz tem a ver com arte. Ouve muito Beatles, é apaixonada por Katy Perry e Rihanna, além de fã declarada de Michael Jackson e Madonna, o Rei e a Rainha do pop.

Maysa Ohashi – natural de Caçapava (SP), Maysa Ohashi ouvia música desde o ventre da mãe, Marli Keiko. Anos depois, a jovem acompanhava Marli nas aulas de piano da professora só para observar. Quando terminava, ela, que cresceu em uma família de músicos, surpreendia a mãe ao dizer: “Eu sei tocar essa música”. Desde pequena ela tomou gosto pela carreira musical e, incentivada pelos pais, começou a trabalhar a voz. Maysa canta desde os 12 anos e hoje, em suas apresentações, conta com uma companhia especial: a do namorado, Demer. Apaixonada por Stevie Wonder, ela trabalha seu estilo entre MPB, jazz e R&B. Frase de uma música: “Quando mentir for preciso poder falar a verdade” (Maria Gadú).

Sam Alves – o endereço atual de Sam Alves fica na cidade de Boston, nos Estados Unidos. Mas o coração do jovem de 24 anos é brasileiríssimo. Dono de cachinhos primorosos – que, aliás, ele não consegue ficar muito tempo sem mexer –, Sam é apaixonado por música pop. Ele, que começou a cantar na igreja com a mãe, resolveu deixar o país por um tempo para investir na carreira de música. Por lá, faz faculdade de arte e música e confessa que está adorando a temporada no país onde nasceu o seu ídolo, Michael Jackson.

Xandy Monteiro – começou a cantar imitando um de seus ídolos, o rei do pop Michael Jackson. Natural de Guaíba, no Rio Grande do Sul, ele sonha em se apresentar em todos os cantos do Brasil. Aos 32 anos, ele confessa que quem escolhe os figurinos de seus shows é a esposa, Marcela Steyer. Ela já foi backing vocal dele, e assim começou a história de amor. É no samba e no pagode que ele faz o seu estilo, há 15 anos.

Carina Mennitto – tem 21 anos e divide seu tempo entre shows em barzinhos em seis dias da semana e as aulas da faculdade de fonoaudiologia.  Descobriu seu talento aos 10 anos, quando se matriculou despretensiosamente na aula de violão. O repertório de Carina é voltado para música pop e suas referências são Elis Regina, Michael Jackson e Stevie Wonder. Carina usa todas as pulseiras que já ganhou na vida em shows mais importantes. “São as pulseirinhas da sorte”, explica.

Amanda Amado – foi criada em celeiro de bamba. Cresceu na casa de samba que sua avó Gessy tem há anos no Rio e, aos 7 anos, sua diversão era cantar no karaokê com as fichas que o dono do bar descolava. Amanda já participou de uma banda de rap e hip hop e, aos 13, se apresentou na Europa. Hoje , ela canta sucessos do samba, MPB e Black Music em barzinhos. Elis Regina e Arlindo Cruz são suas inspirações musicais.

Maylsson Ferreira – foi descoberto pelos pais do cantor, quando ele tinha três anos. O artista gosta de compor fatos reais, como histórias de amor e desilusões amorosas. Além de cantar e compor, ele toca piano e violão. Maylsson é vocalista do grupo de samba romântico SOS Paixão e é fã de Brian McKnight.

Marcela Bueno – começou a cantar na igreja aos 10 anos e hoje, com 18, divide os palcos com o curso de Produção Musical. Em seu repertório, ela gosta de misturar Pop e Soul e suas referências são as americanas Beyoncé e Christina Aguilera. Quando não está cantando, Marcela gosta de andar de bicicleta e nadar. A paulista também adora animais e já teve papagaio, chinchila e até um cavalo. Se não fosse cantora, seria veterinária.

O time Daniel

Alessandra Crispin – persistente. Assim se descreve a mineira Alessandra Crispin, que desde os 11 anos já dedilhava os primeiros acordes no violão. Ainda na adolescência montou uma banda só de meninas chamada “Relicária”. Já foi telefonista, vendedora e, na loja, se divertia ao se vestir de boneca e cantar “Maria Flor”. Cursou faculdade de canto e atualmente estuda Comunicação Social na Universidade Federal de Juiz de Fora. Aos 25 anos, Alessandra também se aventura como motoqueira nas ruas de Minas Gerais e adora esporte.

Ana Lonardi – se formou em psicologia, mas é na música que ela faz com alegria o seu dia a dia. Aos 5 anos, surpreendeu os pais e seus convidados quando pediu para se apresentar no piano. E não é que a pequena mandou ver logo uma canção de Laura Pausini? Foi naquele momento em que os pais, Eliana Lonardi e Sebastião Souza, sabiam que aquela criança dos cachinhos morenos ainda iria dar muito orgulho com a carreira de música. Hoje, apaixonada por jazz E MPB, tem o sonho de se apresentar no Festival de jazz de Montreux.

André e Kadu – cantores e compositores, a dupla André e Kadu existe há três anos. Os dois se conheceram em um estúdio de música, mas estavam em projetos paralelos. O entrosamento musical entre eles fez uma amizade surgir. Juntos, já escreveram mais de 50 canções, inclusive para artistas como Luan Santana e Jorge & Mateus. Kadu, de 27 anos, tem um gosto musical eclético e toca violão, guitarra, baixo, bateria e teclado. Já André, 28, curte ouvir sertanejo, blues, jazz, rock e ópera e, quando não está se apresentando, deixa o microfone de lado e vira mestre-cuca na cozinha.

Anne Marie – vocalista de uma banda que mistura pop e soul, Anne Marie canta desde os 12 anos. A cantora nasceu em Guarujá, em São Paulo, e desistiu de cursar a faculdade de Turismo para se dedicar à carreira artística. Os estilos musicais que Anne gosta de ouvir são pop, rock, sertanejo, MPB e samba. Além de soltar a voz, ela toca guitarra e violão. Anne Marie é tão fã de Lady Gaga que decidiu fazer uma tatuagem homenageando a cantora.

Kaio Deodato – tem 22 anos, começou a cantar aos 10 anos e não parou mais. No oitavo período de engenharia química, o niteroiense se divide entre a música e a matemática, com muita harmonia. Curioso, como ele mesmo se descreve, Kaio ainda arruma tempo para desenhar e modelar, além de tocar violão e trompete. Enquanto as mãos estão sempre ocupadas, os pés já teriam dado a volta ao mundo se dependesse de uma de suas grandes manias: girá-los sem parar. Fã de Djavan e Lenine, o cantor acredita que as palavras têm poder.

Luiza Lara – o envolvimento com a música começou ainda na infância, quando cantava na escola e em festas de aniversários. Vem de uma família de músicos e estudou piano e violão. Gosta de ouvir MPB e jazz. Seus ídolos são Milton Nascimento, Chico Buarque e Zizi Possi. A mineira divide a carreira musical com a profissão de fonoaudióloga. Adora animais, ficar com a família, viajar para cidades históricas e diz ser uma pessoa de muita fé. Sua frase preferida é: “Piso primeiro e depois Deus põe o chão”.

Rubens Daniel – ganhou o primeiro violão aos oito anos e sempre gostou de participar de festivais na pequena cidade de Campina da Alegria (SC). Professor de música, o catarinense rege um coral só de meninas e também trabalha com oficinas para crianças em um projeto social na cidade de Araranguá. Sonha em se apresentar em grandes palcos e em melhorar as condições de toda sua família com a sua música. Fã de Jason Mraz, Led Zeppelin e Maroon 5, ele canta profissionalmente desde os 19 anos. Toca violão e piano e é vocalista de uma banda de pop/rock. Fora dos palcos, gosta de estar com sua filha, encontro com amigos, jogar videogame e assistir seriados.

Gustavo Trebien – formado em Engenharia Mecatrônica, Gustavo Trebien trabalhou por três anos na profissão e decidiu abandonar a carreira para viver de música. Canta desde criança e seus ídolos são: Paula Fernandes, Pink Floyd, Victor & Léo, U2 e Coldplay. Para ele, o violão que comprou há mais de 10 anos é seu mascote. Quando não está nos palcos, Gustavo gosta de assistir filmes e shows. A maior paixão do cantor é a música.

Cecília Militão – até hoje é reconhecida nas ruas de Jacareí, em São Paulo, sua cidade natal, por ter vencido o quadro Novos Talentos, do Domingão do Faustão. A cantora é também empresária e trabalha com a banda Palace em casamentos e outros eventos. Ela canta de tudo: MPB, pop internacional, forró, rock ‘n’roll. “Eu gosto é de música boa. Busco trabalhos bacanas dentro de todos os estilos na hora de montar meu repertório”, afirma.

Swellen Pimentel – começou sua empreitada na música aos 15 anos. Hoje, aos 19, faz faculdade de gestão de Recursos Humanos em Natal (RN), mas foi no rock que ela se encontrou. Fã de Amy Lee, Swellen ficou craque em imitar a cantora e compositora norte-americana da banda Evanescence. Ela, que se define como marrenta, toca violão, guitarra, teclado e bateria. Frase de uma música: “Ando devagar porque já tive pressa” (Almir Sater).

Gabriella Matos – apaixonada por música desde pequena, quando já cantarolava pelos corredores de sua casa em São Paulo. A paulistana de 19 anos segue uma atividade paralela a cantar: dar aulas de inglês. Aos 15 anos, começou a se apresentar profissionalmente na capital paulista. A cantora norte-americana Kelly Clarkson é a eleita quando o assunto é um ídolo na música

Vivian Lemos – estudante de Direito e aos 26 anos já trabalhou como atendente de call center, recepcionista, vendedora de loja de jóias e até no Corpo de Bombeiros. A paixão pela música começou aos quatro anos, quando já dançava e cantava ouvindo uma fita dos Carpenters. Paixão que ganhou força na pré-escola, onde cantava nas comemorações e festas juninas. Vivian também compõe e descreve suas influências como uma “mistureba musical”, que vai da MPB ao pop, passando pelo rock e pelo soul.

O time Lulu Santos

Bruna Barreto – a baiana de 28 anos cresceu em família de músicos e, na infância, trocava a timidez pelo dinheirinho que a mãe oferecia para ouvi-la cantar. Ganhou o primeiro violão aos 13 e aos 16 já começou a se apresentar em barzinhos. Ela canta em três bandas, é apaixonada por Gal Costa, se descreve como eclética, mas é mesmo da turma do rock and roll. “Canto de tudo, mas me descobri no rock. Gosto de gritar e o estilo me permite isso”, revela.

Bruna Borges – a pernambucana Bruna Borges, de 23 anos, sempre viveu cercada de música. Desde os 2 anos já pegava o microfone para cantar e era flagrada, com orgulho, pelo pai. A paixão pela música continuou crescendo e aparece até no nome de seu cachorro Sivuca, em homenagem a um dos sanfoneiros mais conhecidos do país. Também formada em jornalismo, Bruna adora escrever e se resume em uma palavra: emoção.

Dom Paulinho Lima – o estiloso paulistano de 47 anos canta repertórios de jazz e soul e tem como principais referências musicais Stevie Wonder, Marvin Gaye, Brian Mcknight e João Bosco. Na adolescência, Paulinho matava para dar ‘canja’ em um bar. “O vírus da música me pegou com os primeiros aplausos”, conta. E já faz 35 anos.

Luana Camarah – nascida em São Paulo, Luana é apaixonada por tatuagem, adora escutar rock, reggae e jazz. Tem como referência os cantores Lulu Santos e Ed Motta e os grupos Linkin Park, AC/DC e Guns N ‘Roses. Fã de instrumentos musicais, toca bateria, violão, baixo e guitarra. Quando não está nos palcos, a cantora gosta de passar o tempo com seus cachorros. Se pudesse se descrever em uma única palavra, essa palavra seria humildade.

Luciana Balby – a carioca Luciana Balby ganhou o primeiro violão aos 15 anos e já começou a se apresentar em barzinhos. Na época, a fã das Spice Girls fazia a mãe ouvi-la cantar diariamente todas as músicas do CD do grupo britânico. Com Maria Bethânia e Elis Regina como referências, Luciana gosta de cantar MPB e pop. Já cursou letras, foi guia turística, garçonete-cantora e, no momento, estuda teatro. “Não sou de criar raiz”, diz. Seu lema? “Andar com fé eu vou que a fé não costuma faiá”, letra de Gilberto Gil.

Pedro Lima – 24 anos, nasceu em Nova Iguaçu e foi sozinho para São Paulo, há cinco anos, tentar melhorar de vida. Ele cursa fonoaudiologia e já fez de tudo um pouco. Foi operador de call center, assistente administrativo e professor de inglês. Cantava apenas na igreja até participar de um quadro do Mais Você e ouvir de Ana Maria Braga: “Se inscreve no The Voice!”. Ele seguiu o conselho da apresentadora e está na segunda temporada do The Voice Brasil.

Rafael Furtado – se formou em Direito, mas sua paixão é mesmo a música. Rafael descobriu seu talento aos 9 anos, quando ganhou o primeiro violão. Aos 18, entrou na banda Papaninfa e hoje o grupo se apresenta em bares e casas de shows de Recife. O estilo musical de Rafael é pop/rock e suas referências são Gilberto Gil, Lulu Santos e The Doors. Além da banda americana Kings of Leon, que ganhou espaço na pele de Rafael com versos da música “Dusty”.

Rodrigo Castellani – bastou Rodrigo Almeida acompanhar ainda quando criança o irmão cantando para saber que sua carreira seria na música. A velha mania dos pais de escutar Beatles em casa passou como que de pai para filho e, aos 34 anos, ele escolhe Paul McCartney como seu ídolo. Quando adolescente, o rapaz tinha mania de imitar a banda britânica e hoje arrisca algumas imitações de Paul. Apaixonado pelo rock dos anos 60 e 70, Rodrigo encara guitarra, violão, baixo e bateria e sonha em se apresentar em diversos palcos pelo mundo, desde o palco do “Domingão do Faustão”, até o palco de grandes festivais de música. Frase de uma música: “Somos todos feitos com lá menor, sempre ressonando querendo ser maior” (Rodrigo Almeida).

Guto Santanna – solta a voz no estilo pop rock há 13 anos. A escolha pelo estilo musical veio pela admiração que tem por Lulu Santos, um dos astros do pop rock nacional. Guto conta que foi em Brasília que as pessoas começaram a gostar do seu som. Por conta disso, se mudou para a capital federal do país, onde mora há seis meses. Ao longo dessa caminhada, ganhou outra paixão além da música, a namorada Amanda Rodriguez, que o conheceu em uma das apresentações do rapaz de 26 anos.

Rully Anne – fugiu de casa para seguir o seu sonho e hoje exibe suas conquistas na pele. Com um microfone tatuado no ombro, a alagoana, que hoje mora em São Paulo, registra sua grande paixão: cantar! Começou a estudar música escondida e aos 16 anos já tocava teclado na sua primeira banda. Mais do que um estilo particular, Rully gosta de música boa. Diversidade que aparece nos nomes de seus cachorros e gatos, geralmente batizados com nomes de músicas ou cantores que gosta.

Júlia Tazzi – a baiana de 22 anos trabalha com música desde os 15 e, atualmente, toca na noite de Salvador com sua banda, a Tazzi Vanilla. No repertório, letras de rock e pop internacional. “Eu canto de Michael Jackson a AC/DC”, explica. Sua maior referência é Joss Stone porque, segundo Júlia, Joss canta com paixão e se deixa levar pela música. Júlia adora brincar com seu filho Apolo, de 3 anos, surfar e jogar vídeo game.

Nando Motta – se orgulha por ter aprendido a tocar pandeiro, além de violão e guitarra. Mas seu estilo, revela ele, é o pop rock. Na música, sua referência é Eddie Vedder e ele tem um sonho que ronda a cabeça de muitos músicos – se apresentar em um dos maiores festivais de música do mundo, o Rock In Rio. Enquanto segue com sua carreira de quase uma década, o rapaz de 34 anos divide seu tempo também na criação dos filhos, Liz, a caçula, e Victor Hugo.

Fonte The Voice Brasil Rede Globo

Martha Ramazottihttps://redenoticia.com.br
Com mais de 20 anos de experiência na área, Martha trabalhou como editora, programadora e apresentadora em vários programas da afiliada da Rede Record de Rondônia. Fundadora e Editora Chefe do RedeNotícia, é a principal responsável pelas notícias publicadas.

Artigos Relacionados

Redes Sociais

102,301FãsCurtir
1,791SeguidoresSeguir
Publicidade

Últimas Notícias